Cannabis e anorexia: qual o potencial terapêutico deste tratamento?

cannabis e anorexia

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 4,7% da população brasileira sofre com transtornos alimentares. O número é ainda mais alarmante quando a amostra é composta apenas por pessoas jovens, chegando a 10%. Alguns dos transtornos que entram nesse índice são anorexia nervosa (AN), bulimia nervosa, transtorno da compulsão alimentar e transtorno de ruminação ou regurgitação.  Neste post, vamos tratar especificamente de Cannabis e anorexia, visto que pesquisas apontam para uma alta taxa de mortalidade da doença e é urgente encontrarmos mais alternativas de tratamento. 

Um estudo publicado em 2009 mostrou que apenas 46% dos pacientes se recuperam completamente da anorexia nervosa, um terço apresenta melhoras com sintomas parciais ou residuais do distúrbio e 20% continuam cronicamente doentes por muito tempo. Ainda segundo a pesquisa, na Anorexia Nervosa há um aumento de quase 18 vezes nas taxas de mortalidade em relação à bulimia.

>> Leia mais no artigo Outcome of eating disorders

Em uma meta-análise de 36 estudos sobre transtornos alimentares, os autores analisaram 12.808 casos de anorexia nervosa, sendo que 639 resultaram em morte. Ou seja, o índice de mortalidade entre pessoas com anorexia demonstra ser maior do que em pessoas com esquizofrenia e transtorno afetivo bipolar. A Anorexia Nervosa é provavelmente o transtorno psiquiátrico que mais causa mortes.

>> Confira o estudo Mortality Rates in Patients With Anorexia Nervosa and Other Eating Disorders

 

Cannabis e anorexia: entenda a relação

O Sistema Endocanabinóide atua em pontos-chave envolvidos na ingestão alimentar e no gasto energético. Por isso, é visto como um alvo interessante no manejo de doenças como obesidade e distúrbios alimentares. 

Já se sabe que o sistema desempenha um papel importante em circuitos cerebrais relacionados ao comportamento alimentar e às propriedades recompensadoras dos alimentos. Descobertas recentes sugerem que existe uma desregulação do Sistema Endocanabinoide em pessoas com transtornos alimentares.

>> Leia em The role of the endocannabinoid system in eating disorders: pharmacological implications

Os fitocanabinoides e os terpenos da Cannabis podem auxiliar no (re) equilíbrio do Sistema Endocanabinoide, trazendo mais qualidade de vida e bem-estar para pacientes em diversos contextos patológicos, incluindo pacientes portadores de anorexia.

 

Cannabis e anorexia: quais seriam os benefícios do tratamento?

A psicoterapia é normalmente o tratamento de escolha para pacientes com AN. Entretanto, há pouca resposta a este tratamento em adultos com a forma crônica do distúrbio e o abandono a essa abordagem terapêutica é alto. No acompanhamento médico psiquiátrico, costumam ser prescritos também, medicamentos antidepressivos e ansiolíticos. Porém, pesquisas apontam que os psicofármacos frequentemente não são mais eficazes que placebo para melhorar sintomas exclusivos da anorexia.

A maioria dos estudos que aborda a eficácia de antidepressivos em casos de AN é realizada na fase aguda da doença, tendo o ganho de peso como foco principal. Muitos medicamentos se mostram inicialmente promissores em estudos abertos, mas os achados não são confirmados quando as intervenções são avaliadas em ensaios clínicos randomizados — não havendo diferença estatística relevante quando comparados ao placebo. 

Existem indícios de que a Cannabis medicinal pode ser uma alternativa terapêutica nesses casos. Um estudo sobre Cannabis e anorexia, publicado em 2014, avaliou o uso de Dronabinol (THC sintético) e de placebo por 25 mulheres, que haviam recebido o diagnóstico de AN há mais de cinco anos. Elas tiveram um aumento médio de peso de 0,73 kg utilizando o THC em comparação ao placebo, o que foi estatisticamente significativo. Não foram registrados efeitos colaterais significativos. 

>> Veja em Dronabinol in severe, enduring anorexia nervosa: a randomized controlled trial

Além de aumentar o apetite e o ganho de peso, potencialmente a cannabis medicinal poderia também auxiliar no controle da ansiedade e sintomas depressivos nesses pacientes.

 

 

Vale lembrar que a Cannabis é uma planta com mais de 500 substâncias químicas, e que juntas, na maioria das vezes, apresentam mais efeitos benéficos do que a utilização de apenas um canabinoide isoladamente. 

No caso da anorexia, por exemplo, está claro a importância de pelos menos dois fitocanabinoides: o THC e o CBD. O THC é responsável por aumentar o apetite e o CBD pela redução dos sintomas ansiosos. 

 

Além da AN, a Cannabis ainda pode ser muito útil no tratamento de outros transtornos psiquiátricos, como autismo, transtorno do estresse pós-traumático e diferentes transtornos de ansiedade. Conheça essas e outras possibilidades de prescrição de Cannabis medicinal em nosso blog.

 


Referências

Andries A, Frystyk J, Flyvbjerg A, Støving RK. Dronabinol in severe, enduring anorexia nervosa: a randomized controlled trial. Int J Eat Disord. 2014;47(1):18-23. doi:10.1002/eat.22173

Appolinario, Jose C e Bacaltchuk, Josue. Tratamento farmacológico dos transtornos alimentares. Brazilian Journal of Psychiatry [online]. 2002, v. 24, suppl 3 [Acessado 9 Julho 2021] , pp. 54-59. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1516-44462002000700012>. Epub 07 Abr 2003. ISSN 1809-452X. https://doi.org/10.1590/S1516-44462002000700012.

Arcelus J, Mitchell AJ, Wales J, Nielsen S. Mortality Rates in Patients With Anorexia Nervosa and Other Eating Disorders: A Meta-analysis of 36 Studies. Arch Gen Psychiatry. 2011;68(7):724–731. doi:10.1001/archgenpsychiatry.2011.74

Crippa JA, Derenusson GN, Ferrari TB, et al. Neural basis of anxiolytic effects of cannabidiol (CBD) in generalized social anxiety disorder: a preliminary report. Journal of Psychopharmacology (Oxford, England). 2011 Jan;25(1):121-130. DOI: 10.1177/0269881110379283.

De Petrocellis, L., Orlando, P., Moriello, A. S., Aviello, G., Stott, C., Izzo, A. A., & Di Marzo, V. (2012). Cannabinoid actions at TRPV channels: effects on TRPV3 and TRPV4 and their potential relevance to gastrointestinal inflammation. Acta physiologica (Oxford, England), 204(2), 255–266. https://doi.org/10.1111/j.1748-1716.2011.02338.x

Marco EM, Romero-Zerbo SY, Viveros MP, Bermudez-Silva FJ. The role of the endocannabinoid system in eating disorders: pharmacological implications. Behav Pharmacol. 2012;23(5-6):526-536. doi:10.1097/FBP.0b013e328356c3c9

Sartim AG, Guimarães FS, Joca SR. Antidepressant-like effect of cannabidiol injection into the ventral medial prefrontal cortex-Possible involvement of 5-HT1A and CB1 receptors. Behav Brain Res. 2016;303:218-227. doi:10.1016/j.bbr.2016.01.033

Steinhausen, Hans-Christoph. “Outcome of eating disorders.” Child and adolescent psychiatric clinics of North America vol. 18,1 (2009): 225-42. doi:10.1016/j.chc.2008.07.013

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM MEDICINA ENDOCANABINOIDE
INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A ÚLTIMA TURMA DE 2021
INÍCIO DAS AULAS EM 23 DE OUTUBRO
Overlay Image
CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM MEDICINA ENDOCANABINOIDE
INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A ÚLTIMA TURMA DE 2021
INÍCIO DAS AULAS EM 23 DE OUTUBRO
Overlay Image
pt_BRBR