Cannabis e oncologia pediátrica: a planta como adjuvante terapêutico

cannabis e oncologia pediátrica

 

A maior parte dos estudos sobre o uso de derivados canabinoides no contexto de  câncer foram realizados em pacientes adultos. No entanto,  observa-se com frequência na prática clínica, os benefícios da planta também, nos pacientes oncológicos pediátricos. Por isso, destrinchamos para você as principais impressões desta revisão sistemática sobre o uso de cannabis medicinal na oncologia pediátrica.

Na revisão Medical marijuana in pediatric oncology: A review of the evidence and implications for practice, as autoras destacam o potencial da Cannabis medicinal nos cuidados às crianças com câncer. Confira quais são. 

 

Quais os possíveis benefícios da Cannabis na oncologia pediátrica?

O artigo Should Oncologists Recommend Cannabis? também traz um compilado de estudos que reforçam o potencial da Cannabis medicinal no tratamento adjuvante ao câncer, explorando os seguintes tópicos:

  • Efeito antiemético
  • Estimulante do apetite
  • Redução da dor 
  • Melhora do sono
  • Diminuição da ansiedade
  • Potencial antineoplásico

>>> Saiba mais em Should Oncologists Recommend Cannabis?

A seguir, detalhamos alguns desses efeitos, com referências dos artigos citados acima e também, de outros trabalhos publicados. 

 

Efeito antiemético

Nos Estados Unidos, dois ensaios randomizados, duplo-cegos, incluindo pacientes pediátricos oncológicos, demonstraram que o delta-9-THC é um antiemético superior ao placebo. Um terceiro estudo mostra ainda que o THC traz mais benefícios do que a proclorperazina

Veja em: 

>>> Delta-9-tetrahydrocannabinol as an antiemetic in cancer patients receiving high-dose methotrexate;

>>> Antiemetic effect of delta-9-tetrahydrocannabinol in patients receiving cancer chemotherapy;

>>> Antiemetics in patients receiving chemotherapy for cancer: a randomized comparison of delta-9-tetrahydrocannabinol and prochlorperazine

 

Estimulante de apetite

Alguns tipos de câncer podem causar a perda de apetite mesmo em estágios iniciais. Em casos avançados, esse sintoma acaba acometendo 80% a 90% dos pacientes. A perda de peso no câncer é considerada grave, porque está associada à perda também de massa muscular e status funcional. 

Há estudos evidenciando que a Cannabis medicinal e seus derivados têm potencial para estimular o apetite em adultos com HIV/AIDS. Pesquisas que comparam o dronabinol (uma versão sintética do THC) ao placebo sugerem também, que o derivado canabinoide é mais eficaz em combater a anorexia em pessoas com câncer. 

Confira os estudos: 

>>> Dronabinol and marijuana in HIV+ marijuana smokers: acute effects on caloric intake and mood

>>> Dronabinol as a treatment for anorexia associated with weight loss in patients with AIDS

>>> Delta-9-tetrahydrocannabinol may palliate altered chemosensory perception in cancer patients: results of a randomized, double-blind, placebo-controlled pilot trial

 

Adjuvante na dor crônica

Um relatório da National Academies of Sciences, Engineering and Medicine (NASEM), que representa a academia científica nacional coletiva dos Estados Unidos, apoia a descoberta de que adultos com dor crônica tratados com derivados canabinoides apresentam mais chances de terem seus sintomas de dor reduzidos

>>> Veja em The health effects of cannabis and cannabinoids: the current state of evidence and recommendations for research.

Em geral, recomenda-se que ao tratar pacientes que desenvolveram neuropatia periférica induzida por quimioterapia, seja prescrito um medicamento à base de Cannabis na refratariedade do uso de outros medicamentos.  

Outro ponto muito importante é que a Cannabis medicinal apresenta uma sinergia de atuação com os opioides, frequentemente prescritos no controle da dor oncológica. Boa parte dos pacientes com dor crônica, que fazem uso regular de opioides e iniciam o tratamento com cannabis medicinal, conseguem prevenir o desenvolvimento da tolerância aos opioides e, por consequência, evitar a necessidade de aumento da dosagem.

 

Adjuvante na insônia e nos transtornos de humor

O mesmo relatório da NASEM também destaca haver evidências de que os canabinoides melhoram o padrão de sono de indivíduos com distúrbios do sono relacionados à dor crônica, fibromialgia, esclerose múltipla e síndrome da apneia obstrutiva do sono. 

É comum pacientes com câncer relatarem dificuldades para dormir. Estudos mostram que pessoas com doenças que causam dor, incluindo dor oncológica e dor neuropática periférica, apresentaram melhora no padrão do sono ao utilizar uma formulação à base de cannabis THC e CBD (1:1). 

>>> Confira em Cannabis, pain, and sleep: lessons from therapeutic clinical trials of Sativex, a cannabis-based medicine

 

Tratamento de crises convulsivas 

Convulsões podem ser o primeiro sintoma de tumores cerebrais em crianças e adolescentes. Ensaios clínicos já comprovaram que o uso de CBD no tratamento de crianças com transtornos convulsivos de difícil controle é seguro e eficaz. 

>>> Saiba mais em Trial of Cannabidiol for Drug-Resistant Seizures in the Dravet Syndrome 

 

Potencial antineoplásico

Existem evidências de que os derivados canabinoides também apresentam efeitos antineoplásicos. Estudos in vitro e alguns estudos in vivo demonstraram o potencial antineoplásico em algumas das neoplasias malignas mais comuns da infância e adolescência como: linfoma, leucemia, rabdomiossarcoma, feocromocitoma, glioblastoma, astrocitoma, neuroblastoma, entre outras. 

Leia em: 

>>> Cannabinoids: potential anticancer agents

>>> Anti-tumoral action of cannabinoids: involvement of sustained ceramide accumulation and extracellular signal-regulated kinase activation

Cannabis como adjuvante terapêutico no paciente com câncer

 

Um estudo de 2021 sobre o uso de Cannabis na oncologia pediátrica traz dados que podem estimular outras publicações acerca do tema: 

  • Leucemia foi o diagnóstico mais frequente em crianças cujos cuidadores relataram o uso de Cannabis medicinal, sendo que a maioria delas também estava em tratamento oncológico ativo; 
  • Todos os entrevistados que usaram Cannabis apresentaram melhora de sintomas
  • A via oral, através de óleos foi a formulação mais comumente utilizada; 
  • As informações sobre Cannabis foram recebidas de outros pais ou de um médico assistente; 
  • O gasto mensal com Cannabis foi, em média, inferior a 50 dólares.

Apesar de ainda serem poucos os estudos com crianças e adolescentes, a prática clínica e as pesquisas realizadas com adultos apontam que o uso de Cannabis em crianças com câncer pode trazer diversos benefícios para esses pacientes. 

O fato de a Cannabis medicinal já ser permitida no tratamento para crianças na maior parte dos Estados Unidos é mais uma evidência de que é uma questão de tempo termos mais ganhos terapêuticos documentados. 

 

Se você quer se manter atualizado sobre as pesquisas com Cannabis medicinal, não deixe de acompanhar o nosso blog. E caso tenha interesse em aplicar a Medicina Endocanabinoide com segurança e eficácia na sua prática médica, inscreva-se na Certificação Internacional em Medicina Endocanabinoide da WeCann Academy. Somos uma comunidade global de estudos em Medicina Endocanabinoide, que une especialistas de várias partes do mundo para unir de forma altamente qualificada: conhecimento científico e experiência prática.

 


Referências

Abrams DI. Should Oncologists Recommend Cannabis?. Curr Treat Options Oncol. 2019;20(7):59. Published 2019 Jun 3. doi:10.1007/s11864-019-0659-9

Ananth P, Reed-Weston A, Wolfe J. Medical marijuana in pediatric oncology: A review of the evidence and implications for practice. Pediatr Blood Cancer. 2018;65(2):10.1002/pbc.26826. doi:10.1002/pbc.26826 

Beal, J. E., Olson, R., Laubenstein, L., Morales, J. O., Bellman, P., Yangco, B., Lefkowitz, L., Plasse, T. F., & Shepard, K. V. (1995). Dronabinol as a treatment for anorexia associated with weight loss in patients with AIDS. Journal of pain and symptom management, 10(2), 89–97. https://doi.org/10.1016/0885-3924(94)00117-4

Brisbois, T. D., de Kock, I. H., Watanabe, S. M., Mirhosseini, M., Lamoureux, D. C., Chasen, M., MacDonald, N., Baracos, V. E., & Wismer, W. V. (2011). Delta-9-tetrahydrocannabinol may palliate altered chemosensory perception in cancer patients: results of a randomized, double-blind, placebo-controlled pilot trial. Annals of oncology : official journal of the European Society for Medical Oncology, 22(9), 2086–2093. https://doi.org/10.1093/annonc/mdq727

Chang AE, Shiling DJ, Stillman RC, et al. Delta-9-tetrahydrocannabinol as an antiemetic in cancer patients receiving high-dose methotrexate. Ann Intern Med. 1979;91(6):819

Chapman, S., Protudjer, J., Bourne, C., Kelly, L. E., Oberoi, S., & Vanan, M. I. (2021). Medical cannabis in pediatric oncology: a survey of patients and caregivers. Supportive care in cancer : official journal of the Multinational Association of Supportive Care in Cancer, 10.1007/s00520-021-06202-z. Advance online publication. https://doi.org/10.1007/s00520-021-06202-z

Devinsky O, Cross JH, Laux L, et al. Trial of cannabidiol for drug-resistant seizures in the Dravet syndrome. N Engl J Med. 2017;376(21):2011–2020.

Galve-Roperh, I., Sánchez, C., Cortés, M. L., Gómez del Pulgar, T., Izquierdo, M., & Guzmán, M. (2000). Anti-tumoral action of cannabinoids: involvement of sustained ceramide accumulation and extracellular signal-regulated kinase activation. Nature medicine, 6(3), 313–319. https://doi.org/10.1038/73171

Guzmán M. (2003). Cannabinoids: potential anticancer agents. Nature reviews. Cancer, 3(10), 745–755. https://doi.org/10.1038/nrc1188

Haney M, Rabkin J, Gunderson E, Foltin RW. Dronabinol and marijuana in HIV+ marijuana smokers: acute effects on caloric intake and mood. Psychopharmacology. 2005;181(1):170–178.

National Academies of Sciences, Engineering and Medicine. The health effects of cannabis and cannabinoids: the current state of evidence and recommendations for research. Washington, DC: National Academies Press; 2017.

Russo EB, Guy GW, Robson PJ. Cannabis, pain, and sleep: lessons from therapeutic clinical trials of Sativex, a cannabis-based medicine. Chem Biodivers. 2007;4(8):1729-1743. doi:10.1002/cbdv.200790150

Sallan SE, Cronin C, Zelen M, Zinberg NE. Antiemetics in patients receiving chemotherapy for cancer: a randomized comparison of delta-9-tetrahydrocannabinol and prochlorperazine. N Engl J Med. 1980;302(3):135–138.

Sallan SE, Zinberg NE, Frei E, 3rd. Antiemetic effect of delta-9-tetrahydrocannabinol in patients receiving cancer chemotherapy. New Engl J Med. 1975;293(16):795–797.

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM MEDICINA ENDOCANABINOIDE
INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A ÚLTIMA TURMA DE 2021
INÍCIO DAS AULAS EM 23 DE OUTUBRO
Overlay Image
CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM MEDICINA ENDOCANABINOIDE
INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A ÚLTIMA TURMA DE 2021
INÍCIO DAS AULAS EM 23 DE OUTUBRO
Overlay Image
pt_BRBR