Cannabis para dor neuropática: o que os estudos dizem

Cannabis para dor neuropática

Embora diversos estudos clínicos sobre Cannabis medicinal e dores crônicas apontem resultados muito promissores, muitos médicos ainda não se sentem seguros na recomendação do uso de derivados canabinoides como o canabidiol e o tetrahidrocanabinol para o manejo da dor neuropática.

 

Neste conteúdo, falaremos sobre o perfil de tolerância das substâncias e do que já sabemos cientificamente sobre os mecanismos de ação dos canabinoides em quadros de dor neuropática. Continue a leitura e entenda qual o papel da Cannabis medicinal nesse contexto.

Mecanismos de ação da Cannabis para dor neuropática

 

Estima-se que a dor neuropática afete parte significativa da população mundial, podendo em alguns casos tornar-se uma condição grave e incapacitante. Esse tipo de dor crônica é decorrente de lesões nos nervos sensitivos do Sistema Nervoso Central e/ou periférico, o que pode causar diferentes percepções de intensidade e frequência da dor.

 

O uso da Cannabis medicinal para tratar quadros de dor neuropática surge como uma ferramenta farmacológica importante no arsenal terapêutico desses pacientes, visto a maior refratariedade e incidência de efeitos adversos associados à polifarmácia, comuns na abordagem desses casos. No entanto, muitos médicos ainda se sentem inseguros diante da terapêutica canabinoide, apesar de haver diversas pesquisas demonstrando a segurança e eficácia dessas substâncias nesse contexto.

 

Um exemplo é esta revisão sistemática que analisou 374 estudos abrangendo 171 intervenções quanto à eficácia antinociceptiva em modelos pré-clínicos de dor. Os resultados mostraram que os canabinoides seletivos tipo 1, canabinoides tipo 2, agonistas de receptores canabinoides não seletivos (incluindo delta-9-tetra-hidrocanabinol) e agonistas de receptores ativados por proliferadores de peroxissoma (PPARs) atenuaram  significativamente os comportamentos associados às dor neuropática e inflamatória. O CBD, inibidores da amida hidrolase de ácidos graxos e inibidor da monoacilglicerol lipase atenuaram significativamente os comportamentos associados à dor em modelos de dor neuropática, mas produziram resultados mistos em modelos de dor inflamatória.

 

>> Leia a revisão completa em: Systematic review and meta-analysis of cannabinoids, cannabis-based medicines, and endocannabinoid system modulators tested for antinociceptive effects in animal models of injury-related or pathological persistent pain.

 

CBD e THC para dor neuropática

 

O canabidiol é o principal canabinoide que tem sido mais abordado nas pesquisas científicas, mas já existem diversas evidências em relação às propriedades terapêuticas de outros derivados canabinoides no combate à dor neuropática, como o tetra-hidrocanabinol (THC) e a canabidivarina (CBDV).

 

Um exemplo é este experimento pré-clínico que avaliou o uso dos fitocanabinoides THC e CBD e também, da morfina em camundongos durante um período de três semanas. Os resultados mostraram que todas as substâncias trouxeram efeitos positivos no combate à dor crônica decorrente de lesão do nervo ciático. No entanto, foi demonstrado que os canabinoides THC e CBD, em contraste com a morfina, produzem alívio duradouro da dor neuropática nesse modelo de lesão do nervo ciático. Especificamente o CBD pode representar uma opção terapêutica bastante interessante devido a seu baixo perfil psicoativo e baixa associação com potenciais efeitos adversos..

 

>> Veja o experimento completo em: Orally consumed cannabinoids provide long-lasting relief of allodynia in a mouse model of chronic neuropathic pain.

 

Este outro estudo realizado com 15 pacientes portadores de dor neuropática radicular crônica mostrou que o THC foi capaz de reduzir significativamente a dor desses pacientes em comparação com o placebo. Os pesquisadores relacionaram a analgesia induzida pelo THC a uma redução na conectividade funcional avaliada pelo exame de ressonância magnética funcional, entre o córtex do cíngulo anterior (ACC) e o córtex sensório-motor, duas regiões caracteristicamente envolvidas no processamento da dor. 

 

>> Leia o estudo completo em: Cannabis analgesia in chronic neuropathic pain is associated with altered brain connectivity.

 

Outro exemplo do potencial terapêutico do CBD e THC na dor neuropática é esta meta-análise que avaliou o uso de THC:CBD, THC, CBD e CBDV no tratamento de dores neuropáticas. A revisão abrangeu 379 estudos, envolvendo 861 pacientes portadores desse tipo de dor.

 

Em comparação com o placebo, os resultados mostraram que os pacientes que tomaram THC:CBD foram 1.756 vezes mais propensos a obter uma redução de 30% na dor e 1.422 vezes mais propensos a obter uma redução de 50% na dor.

 

No entanto, pesquisadores apontaram que o uso da CBDV não mostrou diferenças significativas, sendo, portanto, necessárias novas pesquisas para investigar os benefícios desse canabinoide no manejo da dor neuropática.

 

>> Leia a revisão completa em: Efficacy of cannabis-based medications compared to placebo for the treatment of chronic neuropathic pain: a systematic review with meta-analysis.

 

O nabiximol, que combina proporções semelhantes de CBD e THC, também já foi avaliado em uma revisão sistemática com meta-análise de ensaios clínicos randomizados e controlados no tratamento da dor neuropática. O estudo englobou 9 estudos clínicos randomizados – envolvendo ao todo 1.289 participantes – e demonstrou que o uso do nabiximol trouxe resultados superiores ao placebo no tratamento de dores neuropáticas, em pacientes com alívio inadequado da dor. A análise conjunta indicou um pequeno efeito de tamanho, mas estatisticamente significativo na redução da dor. 

 

>> Leia a revisão completa em: Nabiximols in Chronic Neuropathic Pain: A Meta-Analysis of Randomized Placebo-Controlled Trials.

Eficácia, tolerância e segurança da Cannabis medicinal no tratamento da dor neuropática

 

Os estudos abordados ao longo deste conteúdo sugerem a eficácia da Cannabis medicinal no contexto de dores neuropáticas, sobretudo quanto ao uso do canabidiol e tetra-hidrocanabinol. Embora os resultados sejam promissores, os pesquisadores alertam para a necessidade de novas pesquisas sobre o tema, especialmente em relação a outros fitocanabinoides e elementos químicos da planta, visando evidências mais robustas.

 

Esta revisão bibliográfica realizada por uma força-tarefa global da Associação Internacional para o Estudo da Dor avaliou o uso medicinal da Cannabis na dor neuropática sob três aspectos principais: 1) o uso de canabinoides em modelos pré-clínicos de dor; 2) a eficácia relacionada à dor e os possíveis efeitos adversos envolvidos; 3) as perspectivas e direções para pesquisas futuras.

 

Os modelos pré-clínicos (de roedores) desta revisão auxiliam a compreender os mecanismos de ação dos derivados canabinoides e do Sistema Endocanabinoide na supressão da sinalização e dos comportamentos nociceptivos. Os autores concluíram que existem evidências substanciais em modelos animais, que apóiam os derivados canabinoides como agentes bastante promissores para o desenvolvimento de medicamentos analgésicos, embora o desafio de traduzir esse conhecimento em medicamentos clinicamente úteis não deva ser subestimado.

 

>> Leia a revisão completa em: Cannabinoids, the endocannabinoid system, and pain: a review of preclinical studies.

 

Outra revisão sistemática de literatura, esta com estudos clínicos,abrangeu 15 estudos duplo-cegos randomizados (1619 participantes) comparando o uso de fitocanabinoides ou canabinoides sintéticos com placebo no tratamento da dor neuropática crônica. A duração dos tratamentos variou entre 2 e 15 semanas.

 

Em relação à eficácia, os desfechos clínicos desses estudos apontaram que houve redução de 30% a 50% nos episódios de dor e na intensidade dos quadros de dor, além de uma melhoria geral na qualidade de vida dos pacientes avaliados.

 

>> Leia a revisão completa em: Efficacy, tolerability and safety of cannabinoids for chronic neuropathic pain: A systematic review of randomized controlled studies.

 

Embora os estudos aqui abordados sugiram um bom perfil de segurança da cannabis para dor neuropática, reforçamos a importância de se compreender a fundo os mecanismos de atuação dos principais fitocanabinoides para fazer prescrições seguras e eficazes. Por isso, uma formação especializada na área é fundamental para médicos que desejam incorporar a Cannabis medicinal em seu arsenal terapêutico.

 

A WeCann Academy ajuda você a acessar esse conhecimento disruptivo. Interligamos especialistas de várias partes do mundo, com ampla experiência prescritiva, em uma comunidade global de estudos em Medicina Endocanabinoide, para unirconhecimento científico e experiência prática na área.

 

Quer fazer parte da nossa comunidade? Entre em contato conosco e saiba mais a respeito!

 

Referências

 

Abraham AD, Leung EJY, Wong BA, Rivera ZMG, Kruse LC, Clark JJ, Land BB. Orally consumed cannabinoids provide long-lasting relief of allodynia in a mouse model of chronic neuropathic pain. Neuropsychopharmacology. 2020.

 

Dykukha I, Malessa R, Essner U, Überall MA. Nabiximols in Chronic Neuropathic Pain: A Meta-Analysis of Randomized Placebo-Controlled Trials. Pain Med. 2021.

 

Finn DP, Haroutounian S, Hohmann AG, Krane E, Soliman N, Rice ASC. Cannabinoids, the endocannabinoid system, and pain: a review of preclinical studies. Pain. 2021.

 

Petzke F, Enax-Krumova EK, Häuser W. Wirksamkeit. Efficacy, tolerability and safety of cannabinoids for chronic neuropathic pain: A systematic review of randomized controlled studies. Schmerz. 2016.

 

Sainsbury B, Bloxham J, Pour MH, Padilla M, Enciso R. Efficacy of cannabis-based medications compared to placebo for the treatment of chronic neuropathic pain: a systematic review with meta-analysis. J Dent Anesth Pain Med. 2021.

 

Soliman N, Haroutounian S, Hohmann AG, Krane E, Liao J, Macleod M, Segelcke D, Sena C, Thomas J, Vollert J, Wever K, Alaverdyan H, Barakat A, Barthlow T, Bozer ALH, Davidson A, Diaz-delCastillo M, Dolgorukova A, Ferdousi MI, Healy C, Hong S, Hopkins M, James A, Leake HB, Malewicz NM, Mansfield M, Mardon AK, Mattimoe D, McLoone DP, Noes-Holt G, Pogatzki-Zahn EM, Power E, Pradier B, Romanos-Sirakis E, Segelcke A, Vinagre R, Yanes JA, Zhang J, Zhang XY, Finn DP, Rice ASC. Systematic review and meta-analysis of cannabinoids, cannabis-based medicines, and endocannabinoid system modulators tested for antinociceptive effects in animal models of injury-related or pathological persistent pain. Pain. 2021.

 

Weizman L, Dayan L, Brill S, Nahman-Averbuch H, Hendler T, Jacob G, Sharon H. Cannabis analgesia in chronic neuropathic pain is associated with altered brain connectivity. Neurology. 2018.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

pt_BRBR