É possível evitar o uso crônico de benzodiazepínicos por seus pacientes?

uso_crônico_de_benzodiazepínicos

 

Os benzodiazepínicos são uma classe de medicamentos sintéticos que reúnem propriedades sedativas, hipnóticas, relaxantes, anticonvulsivantes e ansiolíticas utilizadas no tratamento de diversos transtornos mentais. O Brasil é o país que mais consome benzodiazepínicos no mundo, o que pode ser explicado pelo elevado índice de brasileiros que sofrem de algum tipo de transtorno neurológico como ansiedade ou depressão: 86% da população.

Esses números foram levantados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que também aponta o Brasil como o país que mais tem pessoas ansiosas no mundo. Mas será que existe uma alternativa eficaz ao uso crônico benzodiazepínicos que possa livrar os pacientes da dependência e dos efeitos colaterais desses medicamentos? A resposta está na Cannabis medicinal. Continue a leitura e entenda essa relação!

 

Cannabis Medicinal e uso crônico de benzodiazepínicos

Transtornos de ansiedade, depressão, insônia e ataques de pânico são algumas das condições comumente tratadas com o uso de fármacos benzodiazepínicos. No entanto, além de causar efeitos colaterais indesejados, o uso crônico desses medicamentos pode levar o paciente à dependência do fármaco, o que dificulta muito na descontinuação medicamentosa. Inclusive, a própria bula dessas medicações indica o uso por no máximo 3 a 6 semanas.

Entre os efeitos adversos comuns do uso (e também da abstinência) desses medicamentos destacam-se diminuição do apetite, fraqueza muscular, distúrbios do sono e irritabilidade. Outros impactos mais graves do uso crônico de benzodiazepínicos incluem déficit cognitivo em médio e longo prazo, risco de quedas e acidentes em idosos e até risco de overdose devido ao alto potencial de dependência dessa substância.

Vale lembrar o que aconteceu na chamada crise de opioides nos Estados Unidos, que causou a morte de 450 mil pessoas no país entre 1999 e 2018 por overdose de medicamentos opioides (analgésicos cuja base de produção é a mesma do ópio e da heroína), segundo estimativas dos Centros para a Prevenção de Enfermidades (CDC).

 

uso-cronico-de-benzodiazepinicos

 

Nesse sentido, a Cannabis medicinal tem se tornado uma grande aliada no combate ao uso crônico de benzodiazepínicos não só por sua eficácia terapêutica no trato de diversos transtornos neuropsiquiátricos comumente tratados com benzodiazepínicos, mas, também, por que é capaz de combater os sintomas apresentados por quem tenta largar esses medicamentos.

É isso o que mostra um estudo do Centro Nacional de Biotecnologia dos Estados Unidos, publicado em 2019 na revista científica Cannabis and Cannabinoid Research. A pesquisa analisou um grupo de 146 pacientes que faziam uso de benzodiazepínicos antes de iniciarem a terapia com Cannabis.

Após um curso médio de prescrição de canabinoides por dois meses, 30,1% dos pacientes interromperam o uso de benzodiazepínicos. Após dois cursos médios de prescrição, 44,5% dos pacientes interromperam o uso de benzodiazepínicos. No período final do experimento, depois de três cursos de prescrição, esse número subiu para 45,2% de pacientes que abandonaram os benzodiazepínicos.

A conclusão desse estudo mostra uma taxa de cessação estável que dura em média seis meses até que os pacientes consigam se livrar por completo do uso crônico de benzodiazepínicos. Outras evidências científicas reforçam ainda que os produtos à base de Cannabis apresentam menos efeitos colaterais e resultados mais eficazes do que os benzodiazepínicos no controle de diversos transtornos neuropsiquiátricos como a ansiedade.

 

CBD e THC no desmame de benzodiazepínicos

Como os benzodiazepínicos são fármacos que têm potencial para gerar dependência, é muito importante que os médicos tracem junto a seus pacientes estratégias de desmame com diminuição gradual das doses até que se encerre o tratamento.

Como dissemos, a Cannabis medicinal – além de ser um poderoso agente terapêutico no combate a várias doenças comumente tratadas com benzodiazepínicos – é também uma grande aliada nos processos de transição ou desmame de medicamentos psicotrópicos.

Embora o CBD seja o fitocanabinoide mais utilizado na terapêutica canábica, o THC tem potencial terapêutico único no combate a certos sintomas de abstinência dos benzodiazepínicos que dificultam o desmame completo.

Propriedades como estimulação do apetite, melhora do humor e indução do sono são alguns atributos do THC que trazem mais qualidade de vida para pacientes que fazem uso crônico de benzodiazepínicos e que estão tentando abandonar a medicação.

Nesses casos, as estratégias de dosagem normalmente se baseiam no equilíbrio entre os dois produtos: diminuem-se de forma gradativa as doses do benzodiazepínico enquanto aumentam as doses do fitocanabinoide mais indicado para aquele contexto.

Somente conhecendo a fundo o perfil dos derivados canabinoides prescritos e estabelecendo uma boa relação médico-paciente é possível encontrar a dosagem ótima para cada um dos casos tratados.

 

Nós podemos ajudar você no acesso a esse conhecimento disruptivo em Sistema Endocanabinoide e Cannabis medicinal. Entre em contato conosco e faça parte da maior comunidade global de estudos em Medicina Endocanabinoide!

 


Referências

Peixoto, LS et. al. Ansiedade: o uso da cannabis sativa como terapêutica alternativa frente aos benzodiazepínicos / Anxiety: the use of cannabis sativa as an alternative therapy in front of benzodiazepinics. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 7, jul. 2020.

Purcell C, Davis A, Moolman N, Taylor SM. Reduction of Benzodiazepine Use in Patients Prescribed Medical Cannabis. Cannabis Cannabinoid Res., 2019.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

pt_BRBR