Cannabis e Autismo: conheça uma alternativa na terapêutica do TEA

Cannabis e Autismo

 

Você já ouviu falar dos benefícios da Cannabis medicinal no tratamento do Autismo? Eles existem e vamos apresentá-los aqui. Os déficits funcionais decorrentes do Transtorno do Espectro Autista (TEA) comprometem consideravelmente a qualidade de vida dos pacientes portadores desse transtorno e de seus familiares. As condições mais recorrentes afetam o desenvolvimento cognitivo, as habilidades motoras e a capacidade de interação social dessas pessoas.

O arsenal farmacológico atual é baseado em antipsicóticos, antidepressivos e psicoestimulantes, com taxas de eficácia e tolerabilidade frequentemente baixas. Estudos recentes destacam a Cannabis medicinal como uma alternativa segura e eficaz no manejo terapêutico do autismo.

Neste post, falaremos das evidências científicas sobre Cannabis medicinal e autismo, indicando como incorporar os fitocanabinoides nessa prática terapêutica de forma segura e assertiva.

 

Transtorno do Espectro Autista (TEA)  

Denomina-se Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) uma forma atípica de neurodesenvolvimento, caracterizada pela manifestação precoce de dificuldades de comunicação e interação social, bem como, pela presença de comportamentos repetitivos, esteriotipados ou restritivos, irritabilidade e agressividade, que comprometem o bem-estar e a qualidade de vida do paciente.

O conjunto de disfunções associadas ao Transtorno do Espectro Autista (TEA) resulta em sofrimento severo não só para portadores em si, mas também, para os familiares e cuidadores, tendo em vista que as pessoas diagnosticadas com esse transtorno se tornam dependentes em muitas atividades cotidianas. 

Em alguns casos, sintomas como déficit de atenção/hiperatividade (TDAH), distúrbios do sono e crises de automutilação são bastante frequentes. A maneira como os sintomas se apresentam e o grau de severidade dos quadros são amplamente variáveis. 

Intervenções precoces podem alterar o prognóstico, contribuindo de forma significativa para melhorar as habilidades funcionais e a qualidade de vida dos pacientes, a exemplo da hiperestimulação comportamental e educacional advinda de terapias psicopedagógicas.

As opções farmacológicas atuais são limitadas, apresentam efeitos adversos relevantes e baixas taxas de eficácia. Por isso, conhecer alternativas terapêuticas mais seguras e eficazes e investir em uma formação médica qualificada para aplicá-las é tão necessário.

 

Evidências científicas da relação entre Cannabis e Autismo

A pesquisa científica sobre Cannabis medicinal e Autismo vêm se consolidando no cenário global com resultados que atestam o potencial dos canabinoides (em especial o CBD) no tratamento do TEA. Alguns estudos já comprovam que o uso de extratos ricos em CBD ajudam a reduzir muitos sintomas recorrentes do transtorno, como transtornos do sono, hiperatividade e agressividade.

 

Cenário nacional

Um dos estudos científicos mais relevantes sobre Cannabis e autismo foi conduzido por pesquisadores brasileiros, que são referência no assunto. A pesquisa, publicada em 2019 na revista Frontiers in Neurology, demonstrou do extrato de cannabis enriquecido em CBD para o tratamento de sintomas do espectro autista. 

O experimento avaliou 15 pacientes com TEA submetidos ao uso compassivo do extrato de cannabis predominante em CBD. Cinco desses pacientes eram  portadores de epilepsia de difícil controle. Após um período de 6 a 9 meses de tratamento, apenas um desses pacientes não apresentou melhora nos sintomas do TEA nas 8 categorias avaliadas. São elas:

  • Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH);
  • Transtornos comportamentais;
  • Déficits motores;
  • Déficits de autonomia;
  • Déficits de comunicação/interação Social;
  • Déficits cognitivos;
  • Transtornos do sono;
  • Crises convulsivas.

 

Ainda segundo esse estudo, as melhoras mais impactantes foram em relação às crises convulsivas, TDAH, distúrbios do sono e déficits de comunicação e interação social. Importante ressaltar também, que 10 dos 15 pacientes faziam uso de medicação alopática e conseguiram manter os resultados terapêuticos associados ao uso de CBD, mesmo após a redução ou suspensão dos demais medicamentos.

Os efeitos adversos relatados foram raros e de grau leve. O experimento mostrou-se ainda mais promissor para os 10 pacientes não portadores de epilepsia que faziam parte do grupo. Entre esses 10 pacientes, destacam-se os seguintes resultados:

  • 9 deles apresentaram melhora de 30% ou mais em pelo menos uma das 8 categorias avaliadas;
  • 6 deles apresentaram melhora de 30% ou mais em pelo menos duas das 8 categorias avaliadas;
  • 4 deles apresentaram melhora de 30% ou mais em pelo menos quatro das 8 categorias avaliadas

 

Cenário internacional

A revista científica Nature, de grande prestígio internacional, divulgou em 2019 um estudo de pesquisadores israelenses no qual foram analisados dados de 188 pacientes com TEA tratados com extratos de cannabis  ricos em CBD, entre os anos de 2015 e 2017. O grupo tinha uma média de idade de aproximadamente 13 anos e alguns pacientes apresentavam transtornos associados, sendo a epilepsia (14,4%) o mais recorrente. 

Após 6 meses de tratamento, houve melhora nos sintomas de irritabilidade, distúrbios do sono, agitação psicomotora e transtornos de ansiedade em 75% dos pacientes. Em relação ao grau de melhora desses sintomas, os pesquisadores pontuaram os seguintes resultados alcançados:

  • 30,1% dos pacientes relataram melhora significativa;
  • 53,7% dos pacientes relataram melhora moderada;
  • 6,4% dos pacientes relataram melhora discreta;
  • 8,6% dos pacientes não relataram melhora.

 

Apesar de muitos estudos sobre Cannabis e Autismo ainda estarem em desenvolvimento, os resultados preliminares apontam o papel promissor do CBD nesse contexto, estimulando médicos a estudar e incorporar derivados canabinoides em seu arsenal terapêutico visando trazer melhores resultados e mais qualidade de vida aos portadores do TEA e seus familiares.

 

A WeCann oferece uma jornada de aprendizado robusta para ajudar você a fazer prescrições seguras e assertivas com Cannabis medicinal. Entre em contato conosco e faça parte da nossa comunidade global de Medicina Endocanabinoide!

 


Referências

Bar-Lev Schleider L, Mechoulam R, Saban N, Meiri G, Novack V. Real life Experience of Medical Cannabis Treatment in Autism: Analysis of Safety and Efficacy. Sci Rep. 2019.

Fleury-Teixeira P, Caixeta FV, Ramires da Silva LC, Brasil-Neto JP, Malcher-Lopes R. Effects of CBD-Enriched Cannabis sativa Extract on Autism Spectrum Disorder Symptoms: An Observational Study of 18 Participants Undergoing Compassionate Use. Front Neurol. 2019.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

pt_BRBR