Cannabis e câncer de mama: suporte no alívio dos sintomas e potencial antitumoral

Cannabis e câncer de mama

 

O câncer de mama é o segundo câncer mais incidente no mundo e a principal causa de morte por câncer em mulheres. A cada ano, 2,3 milhões de mulheres são afetadas pela doença, conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Com a expansão das pesquisas sobre o Sistema Endocanabinoide e a regulamentação do uso medicinal da Cannabis em mais de 40 países, essa terapêutica vem se consolidando como adjuvantes promissores no tratamento de diversas doenças, entre elas o câncer.

A relação entre Cannabis e câncer de mama se estabelece no alívio dos sintomas decorrentes da doença e no potencial antitumoral dos canabinoides – enquanto terapia adjuvante –, que ainda necessita de evidências científicas clínicas mais robustas.

Leia até o final para conhecer estudos sobre como a Cannabis medicinal pode proporcionar mais qualidade de vida ao paciente oncológico e quais são as perspectivas quanto ao potencial antineoplásico dos canabinoides no câncer de mama.

 

Cannabis como terapia adjuvante no câncer de mama

Uma parcela significativa e crescente de pacientes com câncer vêm recorrendo à cannabis para auxílio terapêutico. Uma pesquisa norte-americana publicada no Journal of Clinical Oncology (2020) mostrou que, de 725 pacientes com câncer de mama, 42% utilizaram a Cannabis Medicinal como terapia adjuvante.

Os usuários relataram o uso para combater efeitos colaterais dos quimioterápicos – dores, náuseas, inapetência – e aliviar aqueles sintomas decorrentes da doença em si, como ansiedade (57%), estresse (51%) e insônia (70%).

>> Acesse aqui o estudo completo: A survey of cannabis use for symptom palliation in breast cancer patients by age and stage.

No estudo, a idade média dos entrevistados é de 57 anos e 85% apresentam doença não metastática. Mas, a Cannabis vem se consolidando como um valioso agente terapêutico também nos quadros de metástase, aliviando o sofrimento físico, emocional e psíquico que observamos nesses pacientes.

A seguir, listamos os principais benefícios da Cannabis em ambos os contextos.

 

Alívio da dor neuropática

Procedimentos cirúrgicos, radioterapia e principalmente quimioterápicos podem causar quadros de dor neuropática em mulheres com câncer de mama. Em muitos casos, a terapêutica convencional composta por antidepressivos, anticonvulsivantes e opioides não apresenta a eficácia analgésica esperada, além de ocasionar efeitos adversos indesejáveis.

Os derivados canabinoides podem trazer respostas muito positivas nos níveis de percepção dessas dores. Estudos pré-clínicos e revisões da literatura mostram que, apesar de não “zerarem” a percepção da dor, os canabinoides podem aumentar consideravelmente o nível de tolerância dos pacientes à dor.

>> Leia este estudo: Cannabidiol inhibits paclitaxel-induced neuropathic pain through 5-HT(1A) receptors without diminishing nervous system function or chemotherapy efficacy

>> Leia esta revisão: A selective review of medical cannabis in cancer pain management

Cannabis pode ser útil em outros tipos de dor oncológica, como por exemplo, a dor óssea decorrente de metástases, como mostra este publicado no The Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics.

>> Acesse aqui os artigos completos para saber mais sobre o Sistema Endocanabinoide e a ação dos canabinoides no alívio da dor associada ao câncer.

 

Controle de náuseas e vômitos

O potencial antiemético é outra propriedade terapêutica dos canabinoides que pode ser explorada no contexto dos pacientes submetidos à radio e quimioterapia. 

Pacientes que não respondem bem aos antieméticos convencionais, podem apresentar respostas bastante satisfatórias ao utilizar os canabinoides para este fim, especialmente os extratos predominantes em THC.

 

Estímulo do apetite

O THC pode ocupar posição de destaque no tratamento adjuvante do paciente oncológico devido ao seu potencial de estimulação do apetite. 

Um estudo norte-americano realizado com 252 médicos oncologistas – publicado no Journal of Clinical Oncology – mostra que 65% desses profissionais consideram a Cannabis tão ou mais eficaz do que os tratamentos convencionais para anorexia e caquexia.

>> Acesse aqui o artigo completo: Medical Oncologists’ Beliefs, Practices, and Knowledge Regarding Marijuana Used Therapeutically: A Nationally Representative Survey Study.

 

Redução da ansiedade

Quadros de ansiedade e depressão são comuns em pacientes com câncer, sobretudo aqueles que estão em cuidados paliativos. O potencial modulador do humor dos canabinoides têm sido muito explorado nesse sentido, melhorando a qualidade de vida de quem está em profundo sofrimento psíquico. A exploração psicoativa positiva do THC permite que experiências cotidianas como se alimentar, ouvir uma música ou assistir a um filme possam se tornar mais prazerosas e enriquecedoras.

 

Melhora do padrão de sono 

A insônia é outro transtorno frequentemente associado ao paciente com câncer. Aqui, o THC ganha destaque por seu potencial de indução do sono. Com a melhora gradativa no padrão do sono, é possível progredir o desmame do uso de benzodiazepínicos, medicamentos habitualmente utilizados para esse fim  e que estão associados a importantes efeitos adversos a médio e longo prazo.

Aprofunde-se nas propriedades terapêuticas do THC, leia nosso artigo Atributos medicinais do THC: conheça as suas propriedades terapêuticas e entenda porque esse canabinoide pode ser um valioso recurso na prática médica.

 

Potencial antitumoral da Cannabis no câncer de mama 

Revisões bibliográficas sugerem que os canabinoides são capazes de inibir a proliferação, adesão, migração, invasão e angiogênese de células tumorais, inclusive células cancerígenas de mama. 

Em estudos pré-clínicos, os agonistas dos receptores canabinoides CB1 e CB2, como o endocanabinoide anandamida e o fitocanabinoide THC, demonstraram inibir a proliferação de linhagens celulares de câncer de mama, que expressam receptores de estrogênio (ER+).

>> Confira mais aqui: Cannabinoids and Hormone Receptor-Positive Breast Cancer Treatment

Este trabalho comparou a eficácia antitumoral do THC puro com a de um extrato completo da planta predominante em THC. O  extrato completo da planta predominante em THC foi mais potente que o THC puro na produção de respostas antitumorais em culturas celulares e modelos animais de câncer de mama ER+/PR+, HER2+ e triplo-negativo. 

 

>> Acesse aqui o estudo: Appraising the “entourage effect”: Antitumor action of a pure cannabinoid versus a botanical drug preparation in preclinical models of breast cancer

Como evidenciado neste estudo publicado em 2020 no Journal of Biomolecular Structure and Dynamics, que apontou uma importante atividade antitumoral do THC em tumores de mama e de próstata.

O referido estudo demonstrou que o THC pode aumentar a expressão do receptor beta de estrogênio (ERβ), que é uma proteína das células da mama capaz de suprimir a proliferação descontrolada de células cancerígenas induzida por estrogênio. Este outro estudo, publicado em 2021, traz resultados semelhantes, também a partir de uma perspectiva in vitro, porém, evidenciando o potencial antineoplásico do CBD.

 

> Acesse aqui os artigos completos:

Insight of druggable cannabinoids against estrogen receptor β in breast cancer.

Unveiling the mechanism of action behind the anti-cancer properties of cannabinoids in ER + breast cancer cells: Impact on aromatase and steroid receptors.

 

Embora a terapêutica canabinoide seja um adjuvante promissor no tratamento do câncer, é importante ressaltar que ela não substitui medicamentos quimioterápicos e protocolos terapêuticos oncológicos. Funciona, portanto, como uma terapia auxiliar, contribuindo para resgatar a qualidade de vida e o bem-estar dos pacientes neste contexto.

Apesar de muitos estudos pré-clínicos promissores devemos salientar que ainda existem importantes lacunas na literatura científica sobre Cannabis e câncer de mama no que diz respeito ao potencial antineoplásico dessa substância. 

Por outro lado, é inegável o potencial da cannabis medicinal na redução de sintomas associados ao câncer, como náuseas, inapetência, ansiedade, insônia e dor neuropática, e na melhoria da qualidade de vida dos pacientes oncológicos em geral.

 

Uma formação especializada na área é indispensável para atuar com segurança e eficácia na prática prescritiva. Prescrever derivados canabinoides demanda conhecimento diferenciado e aprofundado, para modular potenciais efeitos adversos e otimizar resultados terapêuticos.

A WeCann Academy é comprometida com essa jornada de aprendizado através da sua Certificação Internacional em Medicina Endocanabinoide.

Conectamos especialistas de todo o mundo em uma comunidade global de estudos em Sistema Endocanabinoide para interligar conhecimento científico e experiência prática no uso medicinal da Cannabis.

 

Quer fazer parte desta comunidade? Entre em contato conosco e prepare-se para esta nova fronteira da Medicina!

 

Referências

Amaral C, Trouille FM, Almeida CF, Correia-da-Silva G, Teixeira N. Unveiling the mechanism of action behind the anti-cancer properties of cannabinoids in ER+ breast cancer cells: Impact on aromatase and steroid receptors. J Steroid Biochem Mol Biol. 2021.

Borštnar S, Debeljak N, Dobovišek L, Krstanovic F. Cannabinoids and Hormone Receptor-Positive Breast Cancer Treatment. 2020.

Bhattacharjee A, Hossain MU, Chowdhury ZM, Rahman SMA, Bhuyan ZA, Salimullah M, Keya CA. Insight of druggable cannabinoids against estrogen receptor β in breast cancer. J Biomol Struct Dyn. 2021.

Braun IM, Wright A, Peteet J, Meyer FL, Yuppa DP, Bolcic-Jankovic D, LeBlanc J, Chang Y, Yu L, Nayak MM, Tulsky JA, Suzuki J, Nabati L, Campbell EG. Medical Oncologists’ Beliefs, Practices, and Knowledge Regarding Marijuana Used Therapeutically: A Nationally Representative Survey Study. J Clin Oncol. 2018.

Munson AE, Harris LS, Friedman MA, Dewey WL, Carchman RA. Antineoplastic activity of cannabinoids. J Natl Cancer Inst. 1975.

Smith LA, Azariah F, Lavender VT, Stoner NS, Bettiol S. Cannabinoids for nausea and vomiting in adults with cancer receiving chemotherapy. Cochrane Database Syst Rev. 2015.

Thompson AL, Grenald SA, Ciccone HA, BassiriRad N, Niphakis MJ, Cravatt BF, Largent-Milnes TM, Vanderah TW. The Endocannabinoid System Alleviates Pain in a Murine Model of Cancer-Induced Bone Pain. J Pharmacol Exp Ther. 2020.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin

Mantenha-se Conectado

Artigos

Educacional

Siga nossas redes sociais e fique atualizado!

CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM MEDICINA ENDOCANABINOIDE
INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A ÚLTIMA TURMA DE 2021
INÍCIO DAS AULAS EM 23 DE OUTUBRO
Overlay Image
pt_BRBR